sexta-feira, junho 10, 2011

Pequeno som de junho 2

Irradia ainda no inicio
Colhendo as lágrimas em partida
Seda sobre seu toque dará vida
Em meu olhar desde o principio

Reluz a razão de minha rotina
Dum ato errante céu oblícuo
Turvação pois se em tolher meu júbilo
Exacerbo clareza e o ar calcina

Faz-se o vento com sua gentileza
O beijador zomba a meus dados zelos
Confesso que em toda minha grandeza

Bem no âmago fogo de meu coração
Desejar-me-ei ser criatura viva
E beijar a rosa de minha canção

Nenhum comentário: