sexta-feira, junho 17, 2011

Pequeno som de junho 3

O sopro de vida em tua elegia
este que é minuano intrínseco
tão teu quanto esta alegria.
Do cálido sorriso o teu epíteto
que com afinco imposta o ser
sobiversivo em teus momentos
de compostura, que poucos podem ver,
a máscara vívida dos pensamentos.
Este grilhão da alcunha própria
em vertente da lua negra face
que brota da inversão da inópia.
Oh! Alegria de um dia auferir
a soberania de não ser finda
a palavra dada pôr se proferir

Nenhum comentário: